segunda-feira, 23 de outubro de 2006

Estudo do Temperamento [Parte 1]

Este estudo do temperamento é o mais completo que já li. Nesta primeira parte estudaremos uma pequena introdução sobre os temperamentos, e as características de cada um.Na próxima parte, aprenderemos identificar nosso temperamento, e estudar os temperamentos em alguns personagens bíblicos.Vale a pena ler este estudo para nos conhecermos melhor, e para termos paciência com outras pessoas de temperamentos diferente dos nossos. Boa leitura, e Deus abençoe!


Nosso temperamento é parte permanente da nossa personalidade, e ele ficará conosco do começo ao fim de nossa vida. Ele poderá modificar-se um pouco durante certos períodos de nossa vida, à medida que amadurecemos, passando da infância à juventude, e daí para a vida adulta. O temperamento explica nosso comportamento, mas não deve servir de desculpas para ele. Sendo parte de nossa natureza humana, ele deve ser controlado por nosso espírito (Gn 4:7; 1 Co 9:25). Os temperamentos básicos não se modificam. Entretanto, seus pontos negativos podem ser disciplinados, reorientados e até corrigidos com o auxílio do Espírito Santo. Teremos que determinar quais são os aspectos de nosso temperamento que interferem como nosso desenvolvimento espiritual, e depois iniciar uma renovação do Espírito Santo para superar estas fraquezas. A idéia de reconhecer os pontos positivos e negativos de cada temperamento ajuda-nos a compreender a nós mesmos e aos outros, de forma bem melhor. Quando entendemos que, pelo Espírito Santo, nossas fraquezas podem ser modificadas, passamos a revestir-nos das características do temperamento controlado pelo Espírito Santo.

DEFINIÇÃO
Temperamento é o estado fisiológico, ou constituição particular do corpo. Constituição moral: índole, têmpera. Temperamento é o conjunto das disposições orgânicas que constitui cada natureza face dos mesmos estímulos externos.

CARACTERES DO TEMPERAMENTO
O temperamento é inato: a criança já nasce com um determinado temperamento, embora este muito tarde se manifeste. O temperamento é mais profundo do que nossa consciência. É um poder inconsciente que opera sem cessar e automaticamente. Porque o temperamento tem sua raiz em nossa subconsciência, tem um efeito inevitável em nossa vida consciente, em nossas emoções, intelecto e vontade.
O temperamento é imutável: não só a pessoa já nasce com um tipo de temperamento como também este a acompanha até a morte. E não é possível transformar-se o temperamento de um indivíduo nem pela medicina, nem pelo exercício físico e nem pela educação. Ninguém pode transformar seu temperamento, mas pode dominá-lo, pode controlar-se, de maneira a não se deixar levar pelos seus primeiros impulsos temperamentais.

TIPOS PSICOLÓGICOS
Um psicólogo chamado Jung se preocupou em estudar a comunicação entre as pessoas a fim de que possamos nos orientar melhor dentro dos quadros de referência do outro. Na sua experiência do dia a dia, ele percebeu que a presença do seu próximo é um desafio constante. O ouro não é tão semelhante a nós conforme desejaríamos. Não é raro ouvir o marido irritado dizer que não entende a esposa e a mãe queixar-se de absolutamente desconhecer a própria filha. Também nas relações de amizade e de trabalho surgem freqüentes desentendimentos que deixam cada pessoa perplexa face às reações do outro.
Jung descobriu duas atitudes básicas no comportamento do homem que estão intrinsecamente ligadas ao temperamento. Estas atitudes são: introversão e extroversão.
Na Introversão incluem-se os melancólicos e fleumáticos. Na extroversão incluem-se os sangüíneos e coléricos.
Introversão e extroversão são ambas as atitudes normais. A introversão em grau elevado torna-se patológico, da mesma forma que a extroversão excessiva também será característica de estado mórbido.

CLASSIFICAÇÃO DOS TEMPERAMENTOS
O temperamento sangüíneo:
A atitude básica para com o mundo é da receptividade. As impressões de fora têm uma entrada sem impedimento. Esta abertura para as impressões é explicada pelo fato de as emoções serem mais proeminentes no sangüíneo.

A força do sangüíneo
  • Ele tem o poder de Deus para viver no presente. Todos nós devemos fazer isto, mas raramente o fazemos. Alguns vivem no passado, então são memórias que tomam a sua atenção. Alguns vivem de futuro, então são ansiedades que os pegam. Ambos os tipos impedem de viver uma vida real que é para viver no presente.
  • O sangüíneo encontra facilidade para entrar nos sentimentos, pensamentos e interesses dos outros. Isto é por causa da sua aberta receptividade para impressões de fora e sua natureza emocional. Por causa do seu poder de se adaptar, ele anda facilmente e naturalmente entre todos os tipos de pessoas. Intuitivamente ele entra pelos sentidos na vida de outros e seus interesses, é porque isto toca na sua vida emocional, ele pode falar com o povo com verdadeiro entusiasmo;
  • O sangüíneo é terno e simpático. Ele pode verdadeiramente cumprir “Alegrai-vos com os que se alegram, chorai com os que choram”. Por isso é bom encontrarmos com um sangüíneo quando estamos alegres. Ele não destruirá nossa felicidade pelo capticismo, criticismo ou indiferença. Ele está conosco em nossa alegria. Assim também na tristeza, ele chora conosco. Ele entende com o coração o que os outros não podem entender apesar de serem sábios ou firmes em caráter. Assim o sangüíneo tem dons naturais de cuidar dos doentes.
  • Ele tem potencialidades especiais para viver uma vida rica. Tem um olho aberto para as riquezas da vida. Ele vive, vê, ouve, percebe mais do que os outros. Ele tem um olho para formas, cores, para a natureza, arte, povo, animais e plantas, para o grande e pequeno. Sua vida está cheia não somente com muitas impressões, mas com impressões diferentes e sempre mudando. Por isso nunca tem tempo de ser monótono inerte.

Fraquezas do sangüíneo
  • É transitório e muitas vezes superficial. Isto é porque ele é uma pessoa do presente. Uma impressão expulsa a forma da impressão anterior. Como uma borboleta voa de flor em flor, assim sua alma, facilmente movida pelas impressões, voa de uma impressão para outra. Ele goza a impressão enquanto ela dura, mas quando são seguidas novas impressões, ele termina as anteriores. Elas têm servido seu propósito e ele não tem mais uso para elas. Ele pode ser tão amável, alegre quando encontra com um amigo, que se pode pensar que ele não tem outros amigos, mas quando encontra com outro amigo na próxima esquina, ele se apresenta da mesma maneira com que se apresentou ao primeiro amigo. Ele tem a capacidade de interessar outros. Suas emoções são facilmente agitadas.
  • Ele é inconstante. Não queremos dizer que ele é falso ou hipócrita e muito menos mentiroso ou irresponsável. Nada disso. Sem desejar, ele esquece suas promessas e seus deveres porque no momento está certo para cumprir, mas logo estes interesses são esquecidos. Sua vida consiste em propósitos bons, porém incompletos.

Sugestões para ajudar o sangüíneo na vida espiritual:
  • O sangüíneo é facilmente plasmado pelo ambiente, é fácil para ele captar os sentidos dos outros. Se um sangüíneo mora com crentes, logo ele entra naquele ambiente até contribuindo na sua conversão espiritual. Ele é aberto e receptivo para impressões. Assim, ele sente emoções, por ex., o amor de Deus, o sofrimento de Cristo na cruz. Tudo progride depressa e facilmente, como o Senhor falou de semente que caiu em pedregais (Mt 13:5-6,20,21). Logo nasceu, mas queimou-se porque não tinha raiz. “Logo recebe com alegria”. A conversão é difícil para ele. Em Lc 9:57-62, vimos vários sangüíneos. O Senhor os ajudou constrangendo-os a fazer uma escolha. Isto é o de que o sangüíneo precisa para ser levado a fazer a escolha, porque seu grande interesse em Cristo basta para ele, pensando isto ser suficiente e desta maneira evita fazer a escolha.
  • Até depois da sua conversão, o sangüíneo terá dificuldades. Ser constante diariamente para ele vai ser difícil; ser firme e constante na oração, na leitura, por causa das outras coisas, interesses que entram na sua vida.

Disciplina própria para o sangüíneo:
  • O primeiro dever é esclarecer que é nosso temperamento que impede de nos chegar a Deus e que causa dano na nossa vida.
  • Com honestidade, tem que pelejar contra esta dificuldade
  • As falhas do sangüíneo são abertas para todos fora dele. Nele falta firmeza espiritual, domínio próprio, é facilmente intoxicado por todas as experiências e perde a firmeza e estabilidade, coerência e a continuidade na sua vida. Logo, orar por ele é crucial para que o Espírito Santo desça sobre ele e lhe dê domínio próprio, firmeza espiritual e todos os outros dons que o Espírito quiser lhe dar.
  • Ele precisa de treinamento com perseverança (1 Co 9:27). Um sangüíneo bem disciplinado torna-se um bom e valioso crente.

O temperamento melancólico
Aqui, como no sangüíneo, sentimentos são as coisas principais na alma. Impressões de fora causam as mais fortes operações. Ele não deixa tantas impressões entrarem como o sangüíneo, logo que entram, ele começa a pensar, refletir, ponderar. O sangüíneo pensa pouco ou reflete pouco. Impressões entram e em pouco tempo são vencidas ou cobertas por novas impressões. O melancólico escolhe as impressões. Especialmente as impressões que têm relação com a sua pessoa. E quando ele é desanimado, dá preferência àquelas impressões que dão remorso e tormento. Ele guarda bem e relembra sempre. Fica remoendo as emoções, as impressões.
Como o sangüíneo é de temperamento alegre, o melancólico é o de sofrimento, tristeza. O que ajuda a causar seu sofrimento não é somente pensar em si, mas sua tendência inata para julgar, avaliar todas as impressões que ele recebe de fora. Ele compara tudo com o ideal que ele tem na sua alma, seja o que for que ele encontre: um cavalo, uma cadeira, uma pessoa, etc., imediatamente ele compara essa nova experiência com seu alto ideal. Naturalmente ele é decepcionado. O resultado é que o presente tem pouco interesse para ele. E ele passa tanto deste mundo quanto para o mundo de pensamentos e sonhos. Lá ele vive do passado ou do futuro.
A força do melancólico
  • Ele tem uma alma de alta qualidade e rica. Sua alma não é somente admirável, mas profunda, portanto, muitos dos grandes artistas são deste tipo.
  • Ele é profundo e completo, não gosta de superficialidade. Mas nas coisas que ele tem interesse estuda de forma profunda e completamente
  • Tem uma limitação: aqui também é diferente do sangüíneo. O sangüíneo está interessado em tudo e começa muitas coisas e deixa sem completar. O melancólico tem poucos interesses, mas dá tempo para todos. Ele tem disciplina sobre si mesmo
  • Sua fidelidade: fiel aos poucos. O sangüíneo tem muitos amigos. O melancólico às vezes ofende as pessoas e muitos se afastam por causa de seu pessimismo, gênio e orgulho. Mas é bem fiel para com aqueles de quem gosta e que nele confiam. Por causa de sua natureza acanhada, não mostra muito seus sentimentos. Há uma coisa tocante acerca de sua amizade: tem mais do que diz e mostra
  • Sua cortesia. Não esquece promessas e deveres. É cortês, não gosta de descuido, tudo tem que estar em ordem

Fraquezas do melancólico
  • Ocupado demais consigo mesmo, ele é tentado a olhar por dentro com o resultado de aleijar a vontade e capacidade. Por estar olhando para o interior, é desprezível e prejudicial, portanto, ele pode facilmente desenvolver uma disposição nele.
  • Sensível – porque relaciona todas as impressões com seu próprio eu, facilmente fica ofendido e magoado. Portanto, facilmente supersticioso: “Por que ele fez aquilo?” “Por que ele diz isso?” Tais perguntas o sangüíneo quase nunca pensa, mas o melancólico diariamente está atormentado em si mesmo.
  • Sua irreconciliabilidade – ninguém acha tanta dificuldade em esquecer um insulto como ele. É porque as impressões são profundas. Ele pensa muito e estas coisinhas começam a tornarem-se grandes, até que é muito difícil para perdoar.
  • Pessimista – por causa do seu alto ideal, vê falhas e erros em tudo.
  • Orgulhoso – seu olhar para os erros dos outros dá lugar para desprezar. Ele não vê seus próprios erros.
  • Pensativo – por natureza, vive mais no mundo de pensamentos. O melancólico é pobre em iniciativa. E ambos são pobres em companhia e conversa.
  • Ele é indeciso – reflete todos os lados do caso, todas as possibilidades, conseqüências antes de fazer, ou melhor, tomar a decisão. Quanto mais ele pensa, mais difícil torna o problema.
  • O melancólico sente uma chamada para um trabalho idealístico e muito difícil. A vida ordinária é simples para ele, por isso, vai sonhando as coisas além.

Sugestões para ajudar o melancólico
  • O melancólico pode ser facilmente impressionado. As impressões deixam uma marca na sua mente profunda. As impressões que ele recebe de Deus não o permitem receber paz e gozo no mundo. Às vezes é impedido de tomar uma decisão por causa da sua maneira de procurar sondar e considerar todos os pontos
  • Quando é convertido é muito sério acerca de sua fé. Muitas vezes refletindo sobre a sua vida, seu pecado, seu coração obstinado
  • Como crente ele sempre vê primeiro as coisas tristes e escuras. É difícil para ele ver a direção brilhante e graciosa de Deus. Facilmente começa a murmurar, reclamar, esquecer as misericórdias de Deus
  • Com o sangüíneo, as tentações são na mente e com o melancólico são mais no espírito
  • Como crente não representa atividade, iniciativa.
  • Não há ninguém que sofra como o melancólico. Enquanto o sangüíneo imediatamente esquece a injúria, o colérico é tão cabeça dura que não o nota e o fleumático olha de alto, com um sorriso. O melancólico é profundamente ofendido.

Disciplina própria para o melancólico
  • Introspecção é o ponto fraco do melancólico. Nisso é que tem de pelejar. Quando chegar ao ponto de olhar por dentro e achar que é além de sua capacidade, então prostra-se aos pés de Jesus e isto é a sua salvação (Fp 4:7). A única maneira que nossos corações podem ser guardados de olhar para dentro é olhar para Cristo. Ele precisa se entregar, sacrificar-se, trabalhar por outros, acreditar que isto ajuda muito a dirigir os seus pensamentos. Quanto mais se ocupar com outros, mais fácil esquecerá a si mesmo.
  • Deve pelejar contra pensamentos infrutíferos; tem que aceitar a realidade e aprender a viver no presente
  • Deve pelejar contra o criticismo e orgulho; primeiramente deve ver seus erros em vez dos erros dos outros. Tal melancólico disciplinado e corrigido torna-se um membro valoroso da igreja. Ele é completo, profundo e cheio. Em conversa nunca será o sangüíneo. Ele é de poucas palavras. Quando diz uma coisa é bem pensada, considerada, organizada, mas também tem certos pensamentos independentes e profundos que nos dão assuntos para pensar depois.
  • Ele é fiel e cortês. Ninguém vive a vida escondida em Cristo mais do que ele. Ele tem o dom para analisar algo.


O temperamento colérico
Quando a experiência toca o colérico, toca a sua vontade. Imediatamente ele chega à decisão e sua decisão dirige para a ação. O colérico tem o temperamento que age.
A força do tipo colérico
  • Poder da vontade. Ninguém tem por natureza mais potencialidade de ser forte, firme de caráter quanto o colérico. Ele é feito para a atividade. Deseja primeiramente fazer todas as decisões a respeito de si mesmo, mas também quer tanto fazer decisões a respeito dos outros.
  • Resolução e poder para agir; enquanto o melancólico reflete e pondera todos os aspectos para ir contra, o colérico imediatamente vê o que deve ser feito. O colérico é calmo, certo e forte no tempo da decisão.
  • Ele é prático.
  • Ele é alerta, mente viva. Sua vontade energética que leva para pensamentos dispersos. Este pensamento não é profundo e completo. Seu julgamento de pessoas tem o aspecto prático. Estuda pessoas não para interesse dela, mas para entender a sua utilidade para ele.
  • É resoluto, corajoso, sempre tem um meio para vencer, gosta de ser mestre da situação.
  • Não permite ter medo.

Fraquezas do colérico
  • É severo e impiedoso. E a vida emocional é pouco desenvolvida nele. Portanto, tem pouca capacidade para entrar nas circunstâncias e situações dos outros. Não tem muita simpatia com o sofrimento físico ou espiritual. Não entende a terna e delicada vida.
  • É impetuoso e violento. Tem um gênio muito forte.
  • Tem muita confiança em si mesmo. Acha que vê mais claro e certo do que os outros. Nota que tem a energia que nos outros falta, por isso ganha confiança em si.
  • É orgulhoso e mandante, porque não tem tempo nem paciência para convencer os outros, então força-os a irem com vingança.

Sugestões para ajudar o colérico na sua vida espiritual
  • O colérico é o grupo mais difícil a alcançar. Ele julga facilmente religião como uma coisa sentimental.
  • Quando aceita o Evangelho aceita com todo coração.
  • Como crente tem capacidade de ter um bom caráter cristão. Quando suas energias e fortes desejos são dirigidos por Deus e para Deus, então, estes caracteres têm muito valor.
  • Torna-se um crente ativo. Trabalha onde quer que for.

Disciplina própria do colérico
  • Porque ele é um tipo duro, sua disciplina tem que ser forte e dura para vencer. Para pedir perdão é uma humilhação bem grande. Se ele se esforçar cada vez para pedir perdão, logo, vencerá facilmente e mais cedo.
  • Seu orgulho e desejo por poder também são difíceis.
  • Tem que lutar contra as suas tendências para atividade inútil.
O temperamento fleumático
O fleumático tem o temperamento sereno e uniforme. Nenhuma fase especial é efetuada pelas impressões de fora. Ele tem aquela calma e não é surpreendido como o sangüíneo, nem magoado como o melancólico.

A força do fleumático
  • Ele é bondoso, calmo e é agradável. É pacífico. Deseja o menos possível preocupação e não entende por que outros ficam tão agitados acerca de coisas pequenas. E não fala muito.
  • É digno de confiança porque é calmo e tem tempo para pensar completamente. O que faz é bem feito, não é descuidado, pode resolver e agir, mas nem sempre está disposto. Precisa de alguém para iniciá-lo.
  • Tem uma mente prática, não é tão profundo no pensamento como o melancólico, mas com calma considera todos os lados. O fleumático é tão desapaixonado que tem mais liberdade no pensamento, as coisas ou impressões não influenciam tanto. Ele evita a perda de tempo, tem gênio calmo e sereno e intelecto prático. Tem muita potencialidade como conselheiro.

As fraquezas do fleumático
  • Ele é vagaroso – isto é relacionado com a sua atitude com o mundo fora. Nada o surpreende e nada o espanta, nada agita as suas emoções, está sempre observando quietamente; espectador quieto. Isto pode irritar muito a vida. Ele age positivamente contra inquietação e emoção. Se o sangüíneo está muito animado, o fleumático torna-se frio. Se o melancólico é pessimista sobre as dificuldades do mundo, o fleumático torna-se mais otimista do que nunca e por isso causa raiva aos outros.
  • Sua preguiça – ele é mais preguiçoso do que qualquer outro. O sangüíneo e o colérico são ativos, o melancólico é ativo nos seus pensamentos, mas o fleumático evita todos os esforços.
  • É oportunista.
  • É frio, mas não duro ou cruel como o colérico. É amável e pacífico quando alguém pede auxílio, mas prefere não se interessar.
  • É indiferente.

Sugestões para ajudar o fleumático na vida espiritual
  • O fleumático é inclinado para a justiça própria. Porque sua vida é controlada ele não cai nas tentações mais grosseiras. Por isso se defende contra acusações de consciência ou pessoas.
  • Não é difícil entrar com ele na conversa sobre Deus, porque é congenial e quer evitar qualquer argumento ou desprezo, se mostra amável e social. Mas evita falar pessoalmente sobre a sua necessidade, porque não quer nada que vai perturbar sua tranqüilidade, e não quer nada que vai causar dificuldade para si mesmo.
  • Mas se converter e obtiver o domínio próprio sobre o seu temperamento, torna-se um crente firme. Tem capacidade de viver na vida harmoniosa. Torna-se líder saliente.

Disciplina própria para o fleumático
  • É primeiramente seu amor por tranqüilidade que precisa combater.
  • Precisa combater a indiferença. Se o fleumático começa a exercitar um amor para servir seu coração se abrirá mais e mais, para as necessidades e dificuldades de outros, e ele achará que ultrapassa o gozo natural de uma vida calma e serena. Começa a entender o gozo do puro amor através de ajuda aos outros.
Parte 2 aqui.