sexta-feira, 21 de maio de 2010

ONDE ESTÁS, SENHOR DEUS?

Bristol (EUA) – Neste último domingo, enquanto ouvia o sermão do pastor da minha igreja, concluí que tenho uma fé em Deus bem maior do que ele e demais congregantes.

Basta-me olhar para o céu e constatar que só em nossa galáxia há bilhões de astros e que há bilhões de galáxias no Universo que conhecemos, todas expandindo-se a incríveis velocidades. Expandindo-se para onde? Se se expandem, é porque há um espaço para onde se expandam.

Todas vieram da gigantesca explosão do Big Bang, que criou a matéria e a anti-matéria. Mas o que criou o Big Bang? Por que sua explosão deu origem a um por cento mais de matéria do que de anti-matéria e é esta mínima diferença que permite a imensidão do Universo, com suas galáxias, seus astros e, sim, a nossa presença?

A partir de que veio o Big Bang? O que havia antes? Por que temos que acreditar que existem apenas três dimensões – o comprimento, a largura e a altura – e não muitas outras, que não podemos ver? Por que temos que acreditar que a matéria existe, simplesmente, sem qualquer sentido?

Albert Einstein reconhecidamente morreu sem ter visto a “face de Deus” que tanto procurou – uma equação que explique e harmonize todas as outras equações. Será tal busca possível? Enquanto permanecermos em nossa ignorância, é imprudente racionalizarmos que a matéria existe e não há nada que a explique.

Por isto, minha fé é muito maior do que a do pastor, porque, ao contrário dele, não estou acorrentado a dogmas que tornam inconciliáveis a ciência e a a fé, a supostas incompatibilidades entre cristianismo e a Teoria da Evolução das Espécies, de Charles Darwin, estou livre para crer que aquela voz que Ezequiel julgava descer do céu, subia na verdade das profundezas de sua mente.

Pobre pastor. Ele tem que fazer contorções mentais para acomodar afirmativas contraditórias, para justificar chacinas injustificáveis, para dar sentido a fatos que não fazem sentido, enquanto eu estou livre para simplesmente acreditar em Deus.





Por José Inácio Werneck no Direto da Redação em 19/05/10