sexta-feira, 9 de maio de 2008

Compromisso com Deus Estudando a Vida de Sansão

A paz!! Segue um estudo que uma amiga minha escreveu a respeito da vida de Sansão. Muito bom!!
Obrigado por deixar eu postar aqui, Mayra!


Até onde vale a pena viver por si mesmo? Não se preocupando com o “todo” a nossa volta?

A sociedade de hoje nos impõe uma vida de total aparência, mas até onde isso é VIDA?


O que significa vida?


Segundo o Dr. Aurélio, Vida quer dizer: “Conjunto de propriedades e qualidades graças às quais animais e plantas, ao contrário dos organismos mortos ou da matéria bruta, se mantêm em contínua atividade, manifestada em funções orgânicas tais como o metabolismo (2), o crescimento (1), a reação a estímulos, a adaptação ao meio, a reprodução (1), e outras; existência”.


Existência... O fato de uma árvore existir não quer dizer propriamente que ela seja uma árvore frutífera, assim como um templo onde cristãos se reúnem por si só não se torna um local onde há transformação de vida, libertação e milagres e Jesus nos adverte sobre isso.



Conheço as suas obras; você tem fama de estar vivo, mas está morto.” Ap. 3:1b



A igreja de Sardes era uma igreja era uma Igreja rica, tinha tudo o que era necessário para ostentar uma boa apresentação - tanto interna como externamente -, podia ter aproveitado para ser a maior evangelizadora. Provavelmente as pessoas comentavam sobre a grandeza daquela comunidade e por sua vez aqueles crentes mais vaidosos diziam: “Eu sou de Sardes”. Dizer é um fato, ser é a questão. Apesar da fama, lhe disse o SENHOR: “Tens nome de que vives e estás morto”.

Essa questão de ter uma aparência não tão condizente com a realidade não é um “privilégio” apenas dessa igreja e épocas. Vamos analisar a vida de um conhecido personagem do Antigo Testamento, um homem que até os dias de hoje é conhecido pela sua grande força, mas que nem todos se atentam para os detalhes de suas atitudes, vamos olhar um pouco para a vida de Sansão.

A história de Sansão é muito conhecida, quem nunca ouviu falar do homem com força sobrenatural que foi seduzido por Dalila e perdeu sua grande força após ter seus cabelos cortados? Mas será que a vida de Sansão se resume apenas a isso?

Para responder a essa pergunta vamos voltar ao nascimento dele: ler Jz 13: 2 – 3.

Sansão nasceu com a promessa de ser o libertador do povo de Israel, mas havia algumas leis que ele deveria obedecer, afinal, Sansão nasceu e deveria viver como um nazireu.


Mas o que significa NAZIREU?


A palavra nazireu significa consagrado. De acordo com o livro de Números (6.1-7), três coisas eram proibidas ao nazireu: comer e/ou beber qualquer produto procedente da uva, cortar os cabelos e tocar em cadáveres.


a)Um nazireu não podia tomar vinho:
Na Palavra de Deus, o vinho simboliza a alegria e o prazer. Jesus realizou o primeiro milagre transformando água em vinho para mostrar que o propósito principal de sua obra seria o de transformar a vida natural do homem (tal como a água: inodora e insípida) numa vida plena e abundante.
O apóstolo Paulo compara o enchimento do Espírito Santo com a embriaguez com vinho (Ef 5.18). Esta é a razão por que um nazireu não bebia vinho: para mostrar que o seu maior prazer e deleite eram a Pessoa do Senhor. Um nazireu renunciava todo o prazer e deleites carnais, a fim de consagrar-se inteiramente ao Senhor. Do mesmo modo, a nossa consagração perde o sentido se não estiver baseada no amor ao Senhor e no prazer de andar em sua presença. Sem essa motivação torna-se simplesmente um ato religioso ou legalista.

b)Um nazireu não podia tocar em cadáver algum:
Ser consagrado ao Senhor é mais que rejeitar o pecado ou a carne. Ser consagrado ao Senhor é rejeitar tudo o que estiver impregnado pela morte.
No mundo espiritual, temos três inimigos e cada um deles opõe-se a uma Pessoa da Divindade. O diabo se opõe a Cristo (Mt 4.1-10), a carne faz guerra contra o Espírito (Gl 5.17) e o mundo se opõe ao Pai (I Jo 2.15-17). O mundo e tudo o que nele há é morte diante de Deus.

c)Um nazireu não podia cortar o cabelo:
O cabelo do nazireu era um sinal notório de sua chamada. O apóstolo Paulo discorrendo sobre o uso do cabelo comprido, esclareceu: para o homem é vergonhoso ter o cabelo comprido, mas, para a mulher é um sinal de submissão (I Co 11.10,14).
Creio que esses dois aspectos também são aplicados a nós, como nazireus. De um lado, a consagração ao Senhor, para muitos, é motivo de vergonha e zombaria; de outro lado, a consagração expressa a nossa submissão e o reconhecimento do senhorio de Jesus Cristo sobre nós.
O cabelo comprido do nazireu era o sinal mais evidente de sua consagração, porque expressava sua submissão e obediência. A nossa consagração ao Senhor sempre envolverá a disposição para sofrermos afrontas e zombarias e nos submetermos completamente a Deus.

Bem, Sansão sabia para o que havia nascido e qual postura deveria ter para que isso se cumprisse, afinal, o que estava em jogo não era apenas sua libertação, mas de todo o povo de Israel. Às vezes nossas atitudes podem influenciar muito mais a vida das pessoas ao nosso redor do que imaginamos.

Eu imagino que Sansão deveria ter certa fama na época, a questão é que a Bíblia aponta três atitudes que foram fatais e que quase tornaram sua vida num verdadeiro fracasso:

1ªDe acordo com Juízes 14.5, Sansão gostava de passear entre as vinhas. Embora soubesse que, como nazireu, não lhe era permitido comer uvas, ele sempre dava um jeito de passar perto dos parreirais. Esta atitude é tão parecida com a nossa maneira de agir que, por um instante, se julgarmos que somos nós (e não ele) que estamos vivendo esses fatos. Na verdade, nós também, apesar de não podermos comer as uvas do parreiral do mundo, apreciamos bastante o cheiro delas. É como se Deus nos tivesse proibido de comer pizzas. Em obediência ao Senhor deixamos de comê-las. No entanto, encontramos um jeito de passar perto de uma pizzaria só para sentirmos o cheiro de pizza e observar as pessoas comendo.

2° Certo dia, depois de fazer a caminhada habitual entre as vinhas, Sansão matou um leão (Jz 14.8-9). Dias depois, ao passar pelo local, percebeu que dentro do cadáver do leão havia uma colméia com bastante mel. Veja aqui como o diabo é astuto e sutil. A um nazireu era proibido tocar em cadáveres. E o que ele fez? Colocou mel no cadáver. Sansão não tocou no cadáver do leão, mas chegou muito perto. Atenção: o inimigo pode estar colocando mel nas coisas do mundo para tentar-lhe, atrair-lhe e roubar-lhe a consagração. Cuidado com o “mel no interior de cadáveres”!

3°A tática do diabo para seduzir Sansão entre as vinhas não obteve êxito. Da mesma forma, a artimanha para fazê-lo tocar no cadáver do leão também não surtiu o efeito desejado. Por último, o inimigo usou uma mulher para induzi-lo a cortar os cabelos, Sansão perdeu sua “marca”, afinal, o que o tornava visivelmente um nazireu eram seus cabelos. Jesus nos adverte para que não extingamos o Espírito Santo (I Tessalonicenses 5:19) pois Ele é a nossa “marca”, nosso “selo” de que pertencemos ao Senhor.

Mas Sansão quebrou sua consagração, por seguir suas vontades, por dar maior importância àquilo que o tornava feliz ele deixou de lado o verdadeiro propósito de sua vida. Na aula anterior o Marcos nos falou sobre sonhar os sonhos de Deus, bem, Sansão deixou de enxergar esses sonhos, pois seus olhos estavam ocupados em vislumbrar o que agradaria apenas a ele mesmo.

Como conseqüência ele foi aprisionado e teve seus olhos arrancados, tudo aconteceu muito rápido, ele acordou e de repente sua força havia sumido, na carta à Igreja de Sardes Jesus diz que virá sobre eles como um ladrão (Ap. 3:3b), porém, no mesmo versículo o mesmo Jesus mostra sua misericórdia dando uma segunda chance à “igreja de aparência”, Ele diz: “Lembre-se, portanto, do que você recebeu e ouviu; obedeça e arrependa-se.” (Ap. 3:3a).

Como terminou a história de Sansão?[ler Jz. 16: 25 – 30]

Mas se Sansão havia perdido sua força, o que houve para que o Senhor o capacitasse novamente?

Jesus disse para Sardes lembrar-se do que havia recebido e ouvido e arrepender-se: em Números 6:9 a Bíblia fala que um nazireu pode “retomar” seu voto caso ele seja quebrado, para isso ele deve rapar o cabelo, passar por uma semana completa de purificação e deixar o cabelo crescer novamente [ler Números 16: 22]. Provavelmente Sansão não entendeu porque seus inimigos arrancaram seus olhos, eu imagino que talvez nem eles, mas os olhos de Sansão o levaram muitas vezes a pecar, sem eles, preso ele teve o tempo e circunstancia favoráveis para consagrar-se ao Senhor. (PS: isso me lembra Paulo, que mudou totalmente sua vida ao ver o Senhor Jesus e ficar cego por três dias e também quando Jesus fala que se seus olhos te fazem pecar, arranca-os...).

Jesus também disse “obedeça”: o último ato de Sansão foi um sacrifício que matou mais filisteus do que ele havia matado durante toda a sua vida, ou seja, ele morreu a fim de cumprir aquilo para o que ele havia nascido: a libertação do seu povo.

Hoje vivemos uma realidade de avivamento, em que estamos nos atentando para a necessidade de desviar nossos olhos de nós mesmos e dedicar tempo às pessoas que necessitam ser libertas. O meu desejo é que cada um de nós aprenda, através da advertência de Jesus à Sardes e dos erros de Sansão que não basta estarmos sentados no banco de uma igreja bonita, que possui uma aparelhagem de som de ótima qualidade, membros com um alto grau de estudo e ótimos empregos e esquecermos do que é ensinado nesses cultos, esquecermos que talvez nossos amigos, pais e irmãos que ainda não conhecem a verdadeira vida, a verdadeira alegria que é nosso Jesus não serão salvos pelo fato de estarmos dentro da igreja todos os dias, mas sim se vivermos o que aprendemos aqui dentro. Que o Aviva Jovem possa marcar nossa geração assim como os apóstolos marcaram a geração da igreja primitiva.